01 junho 2007

Like tears in the rain

Montes de dias sem escrever nada por aqui. É verdade. Tenho andado extremamente ocupado e sem tempo. Entre estudos, trabalho, jogar à bola, correr, estudar, estudar e outras coisas, fico sem tempo ou sem pachorra para estar a escrever.
Mas hoje levantei-me cedinho, dei um jeito ao cabelo e pus o meu melhor fato só para vir aqui cheio de espírito e deixar qualquer coisa escrita. O resultado está aí à esquerda. Pus os meus óculos mais estilosos e tudo. Hehehehehehe

Novidades! Tenho uma Philips de 32' e uma Nintendo Wii. A televisão é muito porreira e a Wii a mesma coisa. Mas acho que vou ser um primo fantástico e dar a Wii às minhas priminhas mais novas. Não me estou a ver a comprar jogos para aquilo. É cada tombo! Apesar claro da Wii ser fantabulástica e super divertida. É preciso pensar! Pensar!

Aqui fica um link para o hino do FCP interpretado pelos Blind Zero no programa dos Ratos Fedorentos. Espectacular a versão! Adorava ouvir uma mais trabalhada. O Clube devia ser mais moderno nestes aspectos de comunicação e marketing. Já agora, alguém deve ter dado um toque aos ratos, depois de não sei quantos programas com claro tendenciosismo para o benfica - num canal de interesse público.

Over and out.

8 comentários:

Winter disse...

Vá, três "piquenos" reparos, porque sou tua amiga e não quero que faças mais figuras tristes:
1º São os Gato Fedorento e não Rato Fedorento (gato = fofinho; rato = nojo, nojo, nojo);
2º Efectivamente já existe uma versão mais actual do hino, cantada pelo Nuno Norte (nem parece que vais ao estádio!);
3º O Ricardo Araujo Pereira (os outros não sei, mas parece-me que também), é assumidamente benfiquista, por isso não é uma tendência, é mesmo propositado.
Pronto, beijinho e sempre ao dispôr! ;)

Kal El disse...

1º O Ratos foi de propósito. É mesmo como lhes chamo.
2º Não conhecia e não vou ao estádio... trabalho aos sábados, Infelizmente.
3º São 3 benfiquistas e um sportinguista. Tirando o P.Bento, todos os sketches têm sido a gozar com o Porto chegando grande parte deles a serem mesmo muito baixos.

Numa estação pública como a RTP paga pelos contribuintes as coisas têm que ser diversificadas e os alvos não podem ser sempre os mesmos.

Aliás, depois do Luisão ter sido apanhado completamente bebado, o recheio da casa do Veiga ter sido penhorado em directo, o Mantorras andar a conduzir sem carta válida, etc, depois de tantos episódios nenhum destes foi aproveitado.

Os Ratos têm uma "agenda" (no sentido americano) especialmente o ricardo. Nota-se perfeitamente. E não tem só a ver com futebol.

_Loot_ disse...

Mas tens de ver que a função de um humorista não é a mesma de um jornalista, o Ricardo Araújo Pereira (como já disse numa entrevista) não tem a obrigação de ser imparcial e como tu já reparaste não o é.
E isto nota-se não só no futebol (como disseste).
Pessoalmente não tenho nada contra isso, de certeza que existem muitos humoristas para gozar com os outros lados e vaí talvez não que tenho ideia que a maioria dos humoristas em Portugal é de Esquerda (fugindo ao futebol e entrando na política), mas posso estar enganado.

Kal El disse...

Eu acho que na RTP o que conta é mesmo a função do canal, não a profissão da pessoa, seja ela humorista ou jornalista.

Porquê? Porque a RTP é pública, portanto dos 10 milhões de camelos que cá habitam, logo, tem que ser diversificada para todos em todos os capítulos.

Não faço ideia em relação às politicas dos outros comediantes, mas que o Ricardo é comuna, é com certeza.

_Loot_ disse...

Concordo que a RTP deve ser um canal diversificado e por isso deve ter programas variados, o que é diferente de os programas em si serem variados
.
A função da RTP é ter uma programação equilibrada e que tente abranger muitos gostos, ora o Gato Fedorento é precisamente um programa para um tipo de pessoas, não tem de se transformar num programa que agrade a todos.
Para o leque de pessoas que não gosta do tipo de humor deles a RTP devia ter outro programa de humor e não alterar o do gato.
Até porque dizer a um humorista sobre o que ele deve escrever é o mesmo que dizer a um pintor sobre o que ele deve pintar, não concordas?

Abraço

Kal El disse...

Eu acho que estás a confundir tipos de humor com abrangência.

Este ano, o Luisão foi apanhado com uma taxa de alcoolemia enorme e a pena que recebeu foi rídicula.
O Veiga teve os imóveis penhorados em directo.
O Mantorras foi apanhado a conduzir sem carta legal.
O Mantorras já teve um passaporte forjado e tem sempre os problemas do joelho.
O Luís Filipe Vieira foi apanhado nas escutas.
O Ricardo tirou uma bola 1 metro de dentro da baliza.

Enfim, quem vive o humor pelo humor, já teria apanhado alguma destas situações (e ficaram muitas por referir) já as teria utilizado, porque dão pano para mangas.

Quem vive o humor com segundas intenções, perde - para mim - a pureza.
Para mim isso é inadmissível e como Portista, homem do Norte (de Krypton, claro), Portuense (Adoptado claro) sinto-o como ataques pessoais.

No sketch do Olegário quando aquele magricelas faz o comentário sobre o Quim Barreiros se tivesse à minha frente tinha levado um bilhete que só parava de defecar dentes quando o Benfica voltasse a ser campeão.

_Loot_ disse...

Não vi esse skecth, para ser sincero nem tenho visto o gato fedorento com a assiduidade que gostaria.

Continuo a achar que ele não tem a obrigação de ser assim, independentemente de estar na RTP. Apesar de os próprios gato terem dito que a sic radical era o local onde o programa fazia mais sentido.

Na política por exemplo, ele claramente usa o humor para passar uma mensagem (a sua mensagem em que ele acredita).
No futebol isto não tem tanta importância e o assunto passa-me um bocado ao lado, mas até pensava que ele era capaz de fazer piadas do benfica sem problema.

Concordo contigo que um humorista deve ser abrangente e mais importante do que se saber rir de muita coisa é saber rir-se dele próprio.

Anónimo disse...

Sim, provavelmente por isso e